Avanço da tecnologia na medicina: quais são os benefícios?

Médico vê projeção de coração que sai de celular

Avanço da tecnologia na medicina: quais são os benefícios?

Conteúdo validado por Ron Seagull, CEO da Proxismed.

Você lembra como era seu dia a dia há dez anos sem a tecnologia atual? A internet no celular não era acessível como hoje, não existia a facilidade de assistir filmes em plataformas digitais como a Netflix ou formas de comunicação práticas e instantâneas como o WhatsApp. Na área da saúde, não é muito diferente.

A tecnologia avançou muito e trouxe mudanças significativas na medicina. Agora, várias inovações, como inteligência artificial, machine learning e Big Data, oferecem benefícios para tratamento de doenças, relação de profissionais da saúde com pacientes e melhoria na qualidade de vida.

Os avanços em equipamentos e diagnósticos também permitem procedimentos mais precisos e seguros. Por isso, vamos falar das características de algumas inovações tecnológicas aplicadas na medicina.

Quais são os benefícios do Big Data na saúde?

De acordo com o Instituto Americano de Ciências Médicas e Educação, Big Data é a palavra-chave da era digital. O termo se refere a grandes quantidades de dados coletados de diferentes fontes e que são compilados em banco de dados ou softwares.

A aplicação de técnicas de Big Data permite analisar os dados armazenados, gerar insights, criar tendências ou melhorar a gestão de processos. No setor da saúde, é possível se beneficiar do Big Data de diversas formas, como:

  • Reduzir custos de saúde;
  • Melhorar a qualidade de vida;
  • Reduzir desperdícios de cuidados com a saúde;
  • Melhorar a eficiência e a qualidade de atendimento;
  • Desenvolver novos medicamentos e tratamentos.

A Proxismed é referência em jornadas de relacionamento em saúde e usa análise de dados de Big Data para auxiliar o atendimento de empresas do setor de saúde a pacientes. Assim, o relacionamento é otimizado. A partir dos dados, é possível cruzar informações e desenvolver jornadas de relacionamento para diferentes perfis identificados, garantindo assertividade.

Do mesmo modo, são utilizados os conceitos de screening, Data Science e Data Anaytics. Eles combinam estatística, matemática, programação, resolução de problemas para capturar os dados e encontrar diferentes padrões.

Com esses métodos, é possível eliminar erros e validar os dados para uso. Assim, são criadas jornadas do paciente não somente voltadas à medicina corretiva, mas também para conscientização. Ao personalizar o acompanhamento ao paciente, é possível orientar o indivíduo da melhor forma, alcançar o engajamento e promover saúde.

Além disso, ao integrar o Big Data com a Internet das Coisas (IoT), é possível automatizar processos e transformar os dados em objetos inteligentes conectados. Imagine, por exemplo, um hospital que tem aparelhos e pessoas conectadas. Os aparelhos podem ser ambulâncias, equipamentos cirúrgicos e material médico. Ao conectar tudo, o hospital se torna mais inteligente e eficiente.

Como a inteligência artificial beneficia a medicina?

Segundo um relatório de 2016 da CB Insights, cerca de 86% das prestadoras de serviços de saúde, empresas científicas e fornecedores de tecnologia de saúde já estão usando inteligência artificial (IA).

De acordo com o estudo “Inteligência artificial em saúde: passado, presente e futuro”, publicado na BMJ Journals, a inteligência artificial visa imitar as funções cognitivas humanas. Por isso, o conceito de IA se refere à criação de máquinas com a habilidade de pensar e agir como humanos.

Quando se trata de saúde, a IA promete diversos resultados. Um artigo da Forbes cita alguns avanços específicos nos cuidados com a saúde que a IA permitiu, como cirurgia robótica, assistentes de enfermagem virtuais e também o processo de automatização de tarefas administrativas em clínicas e hospitais.

Por que usar a tecnologia no setor da saúde?

A tecnologia na medicina veio para agregar. De acordo com Martha Gabriel, autora do livro “Você, Eu e os Robôs: Pequeno Manual do Mundo Digital”, a inteligência artificial associada a IoT, Big Data, Robótica e Nanotecnologia é um dos pilares estruturais da transformação tecnológica do mundo que tende a modificar profundamente todas as dimensões da nossa existência.

“Nesse contexto, os indivíduos e organizações que mais rapidamente se adaptam à nova configuração de mundo, convivendo e interagindo com bots e sistemas inteligentes, extraindo insights e gerando valor em suas vidas e negócios tendem a liderar o novo cenário”, afirma a especialista.

Gostou do artigo? Compartilhe nas redes sociais e cadastre-se para receber nossa newsletter!

Sem comentário

Faça seu comentário

Receba Nossa Newsletter

Quer saber mais sobre o trabalho da Proxismed e receber dicas para cuidar da saúde? Cadastre-se!