Antibióticos: a importância do uso consciente

Farmacêutica segura cartela de medicamentos azuis na frente de prateleira de remédios

Antibióticos: a importância do uso consciente

Conteúdo validado por Luciana Soldá, Head da Proxismed

Você sabia que a resistência aos antibióticos é um dos problemas mais graves de saúde pública em todo o mundo? Com o objetivo de alertar a sociedade, entre 12 e 18 de novembro, ocorre a Semana Mundial de Uso Consciente de Antibióticos.

Hoje, no Brasil, os antibióticos só podem ser vendidos com receita médica e são indicados para tratar infecções bacterianas. Porém, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o uso indiscriminado por parte da população vem fazendo com que eles percam o poder de ação sobre as bactérias.

Os profissionais de saúde e as empresas do setor têm uma responsabilidade muito grande de informar e orientar os pacientes sobre o uso adequado de antibióticos. O apoio a pacientes e familiares em todas as etapas de cuidados com a saúde é importante para promover a conscientização.

O que são antibióticos?

Para entender melhor a importância do uso consciente, vamos começar do básico e entender a função do antibiótico. De acordo com o Ministério da Saúde, “antibióticos são substâncias capazes de eliminar ou impedir a multiplicação de bactérias”.

Eles representam um grande avanço na medicina, pois ajudam a combater diversas doenças que antes matavam muitas pessoas. Um médico receita antibióticos para pacientes que estão com infecções, como pneumonia, no ouvido ou na urina, e há regras que devem ser seguidas para conseguir combater a doença.

Mas, muitas pessoas estão usando o remédio de forma errada, como em doses incorretas ou quando querem tratar um simples resfriado. O uso indiscriminado vem fazendo com que esses medicamentos não consigam mais combater certas bactérias.

Como a bactéria fica resistente ao antibiótico?

Ao ser utilizado de forma errada, os princípios ativos do remédio não conseguem mais eliminar a bactéria, pois elas desenvolvem a capacidade de se defender. Veja, por exemplo o caso da bactéria Klebsiella pneumoniae. Nos últimos cinco anos, a taxa de resistência da bactéria Klebsiella pneumoniae aos antibióticos carbapenêmicos quase quadruplicou no Estado de São Paulo, passando de 14% para 53%, segundo o Centro de Vigilância Epidemiológica.

Segundo o relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD), cerca de 700 mil pessoas morrem a cada ano por infecções causadas por bactérias resistentes. A lista de bactérias resistentes está crescendo e aumentou de 7, em 2014, para 12, em 2017, segundo a OMS.

Se o cenário atual continuar, a projeção é que, a partir de 2050, mais de 10 milhões de pessoas morrerão por ano por causa de bactérias resistentes a antibióticos. Portanto, é muito importante que a população se conscientize e use medicamentos de acordo com a orientação médica.

Como usar antibióticos de forma correta?

É essencial pedir orientação específica ao profissional de saúde sobre como e por qual motivo você precisa tomar um antibiótico. Veja algumas dicas que ajudam a usar esse medicamento de maneira consciente:

  • Use apenas antibióticos quando prescritos por um médico e cirurgiões-dentistas;
  • Sempre siga a orientação do profissional em relação aos horários e a dose;
  • Nunca pare o tratamento antes do prazo indicado, mesmo que os sintomas tenham melhorado;
  • Comprimidos revestidos, que liberam aos poucos o princípio ativo, nunca podem ser cortados;
  • Após terminar o tratamento, nunca compartilhe ou use medicamentos que sobraram;
  • Não use medicamentos fora do prazo de validade;
  • Evite bebidas alcoólicas durante o tratamento;
  • Nunca exija antibióticos se o médico disser que não precisa deles.

Além disso, a forma de descarte correta é muito importante para a saúde e o meio ambiente. Se sobraram comprimidos, não jogue no vaso sanitário nem em rios ou lixos comuns. O ideal é levar para uma farmácia ou um posto de coleta. Eles descartarão da forma adequada.

A comunicação com os pacientes de forma omnichannel e individualizada é muito importante para que eles recebam orientações de cuidados com a saúde corretamente. Quer ajuda para implementar isso na sua empresa? Entre em contato conosco!

Sem comentário

Faça seu comentário

Receba Nossa Newsletter

Quer saber mais sobre o trabalho da Proxismed e receber dicas para cuidar da saúde? Cadastre-se!