Câncer de mama: a importância do diagnóstico precoce

Médico faz exame clínico de mamas de mulher

Câncer de mama: a importância do diagnóstico precoce

Conteúdo validado por Luciana Soldá, Head da Proxismed

Você conhece alguém que teve ou tem câncer de mama? Depois do câncer de pele não melanoma, esse é o tipo mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo. Mas é possível combatê-lo! Por isso, neste mês, no qual se celebra a campanha Outubro Rosa, vamos falar sobre a importância do diagnóstico precoce desta doença.

Identificar o câncer de mama nas fases iniciais é o maior aliado para um tratamento eficaz, aumentando assim as chances de cura e também a qualidade de vida. De acordo com o Instituto Oncoguia, 95% dos casos de câncer de mama diagnosticados no início têm possibilidade de cura.

Mas, para conseguir o diagnóstico do tumor cedo, é preciso de informação e cuidados. Entender o que é o câncer de mama, prestar atenção a alterações suspeitas nas mamas e realizar exames preventivos de rastreamento são medidas essenciais para conseguir o diagnóstico precoce. Fazem parte da jornada do paciente e dos cuidados que a mulher deve ter consigo ao longo da sua vida. Continue a leitura e veja como isso é possível.

Entenda o câncer de mama

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Existem vários tipos de câncer de mama. Alguns evoluem de forma rápida, enquanto outros são mais lentos.

Vários fatores de risco genéticos e ambientais podem levar ao desenvolvimento desse câncer, como tabagismo, sedentarismo e mutações genéticas. Se ele é detectado em estágios avançados, o organismo já não responde tão bem ao tratamento, e a cura pode não ser mais uma possibilidade.

Hoje, o câncer de mama responde por cerca de 28% dos casos novos a cada ano e sua incidência é maior após os 50 anos de idade. E, apesar de ser muito mais comum em mulheres, ele também acomete homens, representando 1% do total de casos da doença.

Sintomas e sinais do câncer de mama

Quando a mulher conhece bem suas mamas, ela pode perceber alterações suspeitas e procurar ajuda médica. Hoje, o Instituto Nacional do Câncer (Inca), orienta a mulher a fazer a observação e a autopalpação das mamas sempre que se sentir confortável, sem necessidade de uma técnica específica. Preste atenção aos principais sintomas:

  • Nódulo fixo e geralmente indolor;
  • Pele da mama avermelhada ou retraída;
  • Alterações no mamilo;
  • Nódulos nas axilas e/ou no pescoço;
  • Saída de líquido anormal das mamas.

 

Exames de rastreamento

Em muitos casos, o câncer de mama pode não ter sintomas na fase inicial. Por isso, realizar exames das mamas regularmente e ter um acompanhamento médico é muito importante. O exame clínico é realizado pelo médico e pode detectar lesões com mais de 1 cm e secreções dos mamilos.

No Brasil, a recomendação do Ministério da Saúde é a realização da mamografia de rastreamento em mulheres de 50 a 69 anos, uma vez a cada dois anos. As mulheres que têm risco elevado, como quem tem parente próximo com câncer na mama, devem conversar com o médico. Ele fará uma avaliação específica do caso e definirá a conduta a seguir.

Apesar de ser um pouco incômoda, a mamografia de rastreamento possibilita detectar o câncer no início e ter um tratamento menos agressivo. Além de ajudar na cura, também é melhor para a qualidade de vida da paciente. Você já fez o seu check-up este ano? Já está na hora! Não deixe de cuidar da sua saúde e viva mais e melhor.

Gostou deste artigo? Leia aqui outro texto sobre 7 cuidados que toda mulher precisa ter para manter a saúde e o bem-estar!

Sem comentário

Faça seu comentário

Receba Nossa Newsletter

Quer saber mais sobre o trabalho da Proxismed e receber dicas para cuidar da saúde? Cadastre-se!