Pressão alta? Confira 5 maneiras de controlar a hipertensão

Homem tendo a pressão médida pelo medico

Pressão alta? Confira 5 maneiras de controlar a hipertensão

Conteúdo validado por Luciana Soldá, Head da Proxismed

O Dia Mundial da Hipertensão é comemorado em 17 de maio e lembra a importância de combater e controlar a pressão alta. Essa condição é bastante comum entre os brasileiros e pode ocasionar consequências graves para o organismo, levando a um infarto ou acidente vascular cerebral (AVC).

Atualmente, um em cada quatro adultos brasileiros diz ter pressão alta, segundo pesquisa do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), feita em 2017. O problema é que, após o diagnóstico, muitos deles não controlam a pressão. Nesse cenário, um grande desafio encontrado no atendimento a pacientes hipertensos continua sendo a falta de adesão ao tratamento. Após o diagnóstico, os pacientes precisam mudar hábitos e, muitas vezes, fazer uso diário de medicamentos.

Porém, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), menos de 40% dos hipertensos seguem as prescrições médicas. Outro levantamento, realizado pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (InCor), indica ainda que apenas 13,5% dos pacientes hipertensos conseguem seguir a dieta necessária para controlar a pressão.

Esses dados mostram que ainda existem obstáculos para engajar os pacientes com pressão alta. Seja por falta de conhecimento, acesso ou desorganização, muitos não seguem o tratamento adequado. Por isso, vamos dar algumas dicas de como controlar a pressão alta. Confira!

1. Alimente-se bem e com pouco sal

Não é novidade que o sal faz a pressão arterial aumentar, mas mesmo assim o brasileiro insiste em consumi-lo em grande quantidade. Segundo a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF/IBGE), o consumo de sal pelo brasileiro é mais do que o dobro do recomendado: em média 12 gramas por dia enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) indica a ingestão máxima de 5 gramas.

Além de tirar o sal da mesa e substituí-lo por outros temperos, como manjericão, cebolinha, folhas de ouro, limão, alecrim e tomilho, é importante evitar alimentos industrializados (geralmente têm muito sódio). Também inclua na dieta grãos integrais, frutas e legumes.

2. Pratique atividade física

Fazer exercícios regularmente ajuda não só a controlar a pressão, mas também a baixar o peso e fortalecer o coração. Você pode começar mudando alguns hábitos da rotina para ser mais ativo, como subir escadas, caminhar até o trabalho ou passear com o cachorro.

Existem várias outras atividades físicas curtas que você consegue encaixar no seu dia a dia. Ao colocar a prática como prioridade, seu corpo e mente irão se acostumar e se exercitar não será mais um esforço. Por isso, é importante escolher uma modalidade que você goste e te empolgue.

Não adianta insistir em algo que você acha chato ou que tenha preguiça de ir logo no primeiro dia. Tente algo diferente e varie seu treino. Pode ser dança de salão, arte marcial, funcional ou algum esporte coletivo, por exemplo. Além disso, a prática de alguns exercícios pode ser feita dentro de casa, sem gastos, por meio de vídeos do Youtube ou aplicativos fitness. Existem vários que ensinam treinos ou danças. Mas antes de começar não se esqueça de fazer uma avaliação médica.

3. Pare de fumar

Toda vez que você fuma, sua pressão arterial aumenta. Deixar de fumar ajuda a sua pressão a voltar ao normal e reduz o risco de doenças cardíacas. Isso acontece porque o tabagismo contribui para o entupimento das artérias por placas de gordura.

Para conseguir parar de fumar, a primeira coisa que você tem de fazer é se comprometer com isso. Assim, marque na agenda o dia de deixar de fumar e jogue fora objetos que remetem a isso. Beber água toda vez que der vontade de fumar pode ser um grande aliado para enfrentar os momentos mais críticos.

Além disso, ao fumar, você mantém a boca e as mãos ocupadas. Portanto, ache formas de distraí-las. Mantenha a mão ocupada com caneta, lápis ou uma moeda e mastigue pastilhas sem açúcar, ou morda cenoura crua ou aipo, algo crocante que drible a vontade de fumar. Se necessário, busque ajuda profissional.

4. Diminua o estresse

Muito estresse e ansiedade podem contribuir com a hipertensão arterial. Isso porque nosso corpo reage fazendo o coração bater mais rápido e contraindo os vasos sanguíneos. Por isso, é importante detectar o que te deixa estafado e combatê-lo.

Se você não pode eliminar esse fator estressante, tente ao menos lidar com ele de uma forma mais saudável. Entenda que há algumas coisas que você não pode mudar ou controlar, e não se cobre tanto. Além disso, faça atividades que você gosta e ajude a relaxar. Pode ser meditação, ioga, assistir um filme, escutar música ou cozinhar. Cuide da sua saúde mental!

5. Tome seus medicamentos corretamente

Em alguns casos, o médico recomenda o uso de medicação como parte importante do tratamento. A Sociedade Americana do Coração afirma que é essencial seguir as recomendações médicas corretamente e, assim, não mudar a dose ou a frequência antes de consultar seu médico.

Importante! Se tiver histórico familiar de pressão alta, é necessário redobrar a atenção e os cuidados. Ao compartilhar genes e ter comportamentos em comum, é possível desenvolver a mesma doença que um parente. Por isso, informe ao seu médico o histórico de saúde da sua família. Você não pode mudar seus genes, mas pode adotar comportamentos mais saudáveis.

Com essas dicas, é muito mais fácil controlar a pressão alta. Seguir as orientações médicas e o tratamento adequado é essencial para se manter saudável.

Sem comentário

Faça seu comentário

Receba Nossa Newsletter

Quer saber mais sobre o trabalho da Proxismed e receber dicas para cuidar da saúde? Cadastre-se!